Fortaleza e Curitiba podem se orgulhar de ter os melhores aeroportos do Brasil ao passo que os piores terminais são os de Goiânia e São Luís do Maranhão. É esta pelo menos a opinião dos passageiros de todo o Brasil participaram até agora da avaliação promovida pela Anac em seu portal na internet. Além dos aeroportos, a agência federal, em seu Portal do Passageiro, convida os visitantes a opinar sobre empresas aéreas nacionais e internacionais. Nos trechos domésticos a Passaredo está na ponta enquanto nos voos para outros países uma surpresa: Alitalia e Air France disputam ponto a ponto o título de melhor companhia, deixando bem para trás empresas como a Emirates. A pesquisa da Anac está aberta à participação de qualquer passageiro, bastando para isso fazer um cadastro. Ao todo, 6,4 mil pessoas já participaram. Na avaliação dos aeroportos são levados em consideração quesitos como acesso e atendimento a necessidades especiais, conforto nas principais dependências, estacionamento, serviços de informações e a estrutura em geral, como transportes, lojas e lanchonetes. Fortaleza levou a medalha de ouro com a nota 8,38 de zero a dez, seguida por Curitiba (8,02) e Recife (7,96). Os piores foram Goiânia (2,50), São Luís (3,88) e Guarulhos (4,35). Já no caso das companhias aéreas os passageiros são convidados a dar notas de zero a dez em quesitos como conforto das aeronaves, cuidados com a bagagem, serviço de bordo, atendimento e custo-benefício. No ranking nacional, Passaredo (8,32), Puma Air (7,69) e Trip (7,50) obtiveram as melhores notas. As piores, descontando algumas empresas que deixaram de operar e ainda constam nas avaliações, foram Pantanal (3,64), Team (4,76) e TAM (5,28), já acima da média 5. Por fim, entre as empresas internacionais as com melhor avaliação foram Alitalia, que obteve nota 9,32, Air France (9,30) e Korean (9,23), com boas colocações da Aerolíneas Argentinas e Pluna. Entre as piores, mais surpresas: a americana Continental teve a pior nota, com 1,86, seguida pela Lufthansa (2,23) e United Airlines (2,54). Pelo convívio diário que temos com milhares de leitores do Melhores Destinos, podemos afirmar que o ranking tem grandes distorções, especialmente com relação às empresas aéreas. Em parte isso se explica pelo número de avaliações de cada empresa, já que quanto mais pessoas avaliam menor tende ser a nota. Além disso, especialmente nos voos internacionais, há a questão da expectativa inicial do passageiro. Pessoas que voam com mais frequência ou a negócios tendem a ser mais severas na avaliação e isso pode pesar no resultado final. Mas melhor que procurar motivos, o ideal é participar, dar sua opinião e fazer justiça com quem merece, tanto com relação às empresas quanto com os aeroportos. Com ampla participação, este ranking pode ser usado como instrumento para pressionar a própria Anac, Infraero e empresas a tomarem atitudes e melhorar os serviços prestados aos passageiros!

Fonte:

http://www.melhoresdestinos.com.br/pesquisa-anac.html#more-11456