Kathmandu é a capital do Nepal um país no Sul da Ásia, fronteira com a China e Índia, lugar também onde se encontra o Monte Everest, este, um dos grandes orgulhos para o povo Nepalense, principalmente pelas águas que escorrem do topo das montanhas geladas, que, aliás, é dada, em uma garrafa, ao turista assim que chega ao aeroporto da cidade como souvinir.

No Nepal apesar de suas águas famosas, o país possui transtornos como racionamento de água devido o precário sistema de tratamento e distribuição de água; o que ocorre o mesmo com a energia que chega apenas durante 4 a 6 horas dia, o que faz geradores movidos a deisel trabalharem em toda a capital deixando sua camisa branca no final do dia meio cinza. Somados a tudo isso, temos um transito, que diríamos…perdi as palavras até para explicar!!! Ah, achei LOUCO!!!! kkkkk Mão inglesa, bicicletas, motos, animais, e muita, muita gente nas pistas, todos dividindo o mesmo espaço!!

Em meio a tudo isso, temos um dos lugares mais encantadores que conheci ao longo de minha trajetória de viagens pelo mundo. Começamos por uma cidade onde Shiva, Ganesha e outros deuses Indus são representeados em templos de muita espiritualidade, onde as pessoas, veneram com muito fervor à todos eles de maneira muito sincera e tocante…nesse momento você muda um pouco seus conceitos sobre religião(s), Deus(s), Fé ou qualquer coisa que venha acreditar ser superior à todos nos, maior lição – Respeito à todos!

Vaca sagrada, macaco sagrado, muita cor em tudo – nas roupas, nas testas, temperos, flores; o cheiro de Kathmandu é indiscutivelmente exótico, até nas pessoas…que para nós asiduos por banho por vezes incomoda!! kkk A espera pela morte é outra coisa muito curiosa…uma das construções históricas que visitamos na realidade era uma espécie de hospital de idosos sem esperança de vida á espera da morte, e logo alí num rio próxima haveria a cremação dos corpos com seus restos jogados no rio, realmente uma cena impressionante!

Kathmandu também é lugar de templos Budistas, inclusive uns dos mais importantes do mundo. Ali em visita de um deles, onde o olho de Duba está estampado no topo dos tempos, colorido e com muito ouro, as pessoas fazem suas orações e giram uma espécie de cilindo com orações que se espalham no mundo – sem saber como orar, girar, portar e conduzir tudo aquilo, fui abordado por uma budista americana que me ensinou como proceder, isso em frente a uma escola onde as pessoas oravam com um canto que remetia-nos silencio e respeito, foi realmente único aquele momento.

Ah…chá com leite, ovos cozidos e tomate no café da manhã é muito comum; porém a cidade oferece restaurentes dos mais diversos paladares, italiano, chinês, americano (KFC), em fim, sem problemas!

As hospedagem são um pouco complicada no requisito limpeza, água quente e eletricidade, mas como se passa muito tempo fora do meio de hospedagem…tudo certo!

Caso queiram maiores detalhes, roteiros, hospedagem, mais dicas…entrem em contato!!Face: JaimeBarros

Grande abraço!!