ÉTICA NO TURISMO

por Jaime Silveira Neto


A ética tem sido o principal regulador do desenvolvimento histórico-cultural da humanidade. Sem ética, ou seja, sem referências aos princípios humanitários fundamentais, a humanidade já teria se despedaçado até a autodestruição.

Fala em ética e não correlacionar hoje em dia com a responsabilidade social das organizações produtivas de bens e serviços é praticamente impossível. No turismo essas devem perceber que a perspectiva econômica não esta isolada, devendo trazer para si a responsabilidade social e os princípios éticos.

Autores como Rafael Agno e Osvaldo Melo situam a ética no estudo dos valores, comportamentos e no caráter do homem. Já outros como Irving, colocam a ética no estudo dos costumes, hábitos e qualidades que o homem vem adquirindo ao longo da vida.

O importante notar é que em todos esses a ética vem explicar, esclarecer e investigar uma determinada realidade afim de fixar padrões de conduta, correlacionando com normas morais e jurídicas.

Na atividade turística a ética também expressa importante papel, pois sugere as ações que devem ser desempenhadas para o andamento positivo desta atividade.

Mas devido o crescimento acelerado do turismo, onde problemas sociais, como a degradação do meio ambiente e o desrespeito com as populações locais e com o próprios turistas, surgiu a necessidade de criar códigos que elaborassem leis pautadas no turismo sustentável como o CÓDIGO MUNDIAL DE ÉTICA DO TURISMO que teve sua aprovação no ano de 1999, explorando princípios básicos para a sustentabilidade ética das atividades envolvidas com o turismo no mundo, princípios esses que transpassa as empresas de turismo na medida de sua capacidade percorrendo unidades, destinos, empregados, empresários e até o próprio turista, e o CÓDIGO DE ÉTICA DO BACHAREL EM TURISMO também no mesmo ano.

Com esta nova regulamentação todos os setores do turismo tiveram que promover diversas adaptações, que atingiu vários setores, como o institucional que percebendo a importância da atividade para a economia, regula suas ações promovendo o seu desenvolvimento, e as empresas privadas que devem cumprir tais normas e reconhecer o valor do Bacharel em turismo, já que esta, principalmente é conhecida por oferecer salários baixos e más condições de trabalho a seus empregados.

No turismo a aplicação desses princípios é uma questão de sobrevivência para todos os envolvidos que unidos com responsabilidade social, compreendido como a preocupação coma sociedade em geral, gera um grande senso de responsabilidade.