As passagens aéreas confeccionadas em papel serão apenas uma lembrança a partir de 1º de junho, data em que as companhias integrantes da Associação Internacional do Transporte Aéreo (Iata) começarão a utilizar definitivamente os bilhetes eletrônicos.
O objetivo de abandonar o uso do papel, aprovado em 2004 pelas 240 companhias aéreas da Associação, será alcançado na data prevista, declarou um porta-voz na sede da organização, em Genebra. O final do bilhete aéreo em papel será solenemente proclamado durante a assembléia geral da IATA, em Istambul (Turquia).
Segundo a IATA, o desaparecimento do papel representará para as empresas associadas uma economia de 3 bilhões de dólares por ano. O bilhete eletrônico custa em média um dólar contra os dez dólares da passagem tradicional.
A medida também poupará o corte de 50.000 árvores por ano, que representam cinco quilômetros quadrados de bosque, segundo a IATA, cujos membros cobrem 94% do tráfego aéreo internacional.