Segundo dados do Anuário Estatístico da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), em 2007, exatos 5.025.834 visitantes internacionais escolheram o Brasil como destino turístico. Desses, Chile e Peru tiveram um crescimento expressivo em relação a 2006. Os chilenos saltaram de 176.357 visitantes para 260.430 no ano passado, 47,67% mais. Já os peruanos registraram um incremento de 50,52% ao atingir, em 2007, 96.336 pessoas, frente a 64.002, no ano anterior.

Para a presidente da Embratur, Jeanine Pires, o desempenho dos mercados vizinhos se explica pela acessibilidade aérea.”Houve um reforço importante na oferta de vôos internacionais entre esses países e o Brasil no ano passado”, avalia. E acrescenta um contexto próprio da atividade: “No turismo, os países vizinhos são os principais clientes e a América do Sul foi o nosso maior mercado ao longo de décadas”, completa.
Outro dado revelado pelo anuário mostra que América do Sul e Europa praticamente empataram no envio de turistas estrangeiros no ano passado. Enquanto os sul-americanos lideraram o ranking, com 1.906.451 pessoas, os europeus registraram 1.906.078 – uma diferença de apenas 373 turistas. Juntos, os dois blocos foram responsáveis por 75,85% dos visitantes internacionais no país em 2007.
“Ocorre que, desde 2003, a Europa se tornou um importante emissor de turistas para o Brasil com o estabelecimento de novos vôos diretos, especialmente para o Nordeste, que passou a ser um grande portão de entrada internacional”, comenta José Francisco de Salles Lopes, diretor de Estudos e Pesquisas da Embratur.
A divisão entre os dois blocos se reflete no ranking dos dez países que mais enviaram turistas ao Brasil. São quatro sul-americanos (Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai) e cinco europeus (Portugal, Itália, Alemanha, França e Espanha). A exceção fica por conta dos Estados Unidos, que, atrás dos 920.210 turistas da Argentina em 2007, historicamente se mantém como o segundo maior emissor, com 699.169 turistas.
Já no bloco europeu, destacaram-se Inglaterra, que enviou 176.948 visitantes (4,3% superior a 2006) e França, com 254.367 turistas (2,1% mais que no ano anterior).
Turistas gastam mais
Mesmo com um fluxo estável de estrangeiros em 2007, com pouco mais de oito mil visitantes em relação ao ano anterior, o país registrou uma receita turística recorde de US$ 4,953 bilhões, 14,75% mais que os US$ 4,316 bilhões desembolsados em 2006, de acordo com o Banco Central.
Para a presidente da Embratur, o desempenho indica que o Brasil está recebendo um turista que permanece mais tempo no País, visita mais destinos e, portanto, tem um gasto mais elevado. “É importante notar como esse cenário de estabilidade vem acompanhado de um crescimento expressivo da receita gerada pelo turismo, hoje o principal item na balança de serviços do país”, ressal