Sem resorts nem vilarejos badalados, o litoral da Paraíba permanece desconhecido da maioria dos brasileiros. Além disso, muita gente insiste em dizer que o estado tem a capital mais sem-graça do Nordeste. Injustiça. Ao contrário de Recife, Fortaleza ou Salvador, na pequena João Pessoa o sossego e a tranqüilidade reinam absolutos. Sem contar que é uma das capitais nordestinas mais econômicas. Mas também não faltam belezas naturais: no verão, a cidade é banhada por águas de um azul muito claro. E sua orla, preservada por uma lei que limita a altura dos edifícios, concentra os hotéis e restaurantes, sobretudo nas praias de Tambaú, Manaíra e Cabo Branco.
Mas a Paraíba tem também a praia de naturismo mais famosa do país: Tambaba, a 48 quilômetros da capital. E tem ainda a Ponta do Seixas, o ponto mais oriental da América do Sul e, como tal, o lugar onde o sol nasce mais cedo. Fica a apenas 10 quilômetros da Praia de Tambaú, ou seja, vale o esforço de acordar mais cedo para conferir.
Na programação do turista que visita o estado não pode faltar um passeio de barco até a “Ilha da Areia Vermelha” para ver o fenômeno que pode ser observado durante 20 dias por mês, quando a maré baixa na Praia de Camboinha e surge um grande banco de areia de cor avermelhada. Não deve faltar também a ida até Cabedelo, um pouquinho mais ao norte, para ver o sol se pôr. Enquanto acontece o espetáculo natural, nos bares da Praia do Jacaré, que é uma praia fluvial do Rio Paraíba, o programa inclui até trilha sonora: Bolero, de Ravel, toca todo dia nesse horário ao vivo no Bar do Jacaré e nas picapes de todos os demais.

Fonte: Revista Viagem e Turismo