X SEMANA DO ADMINISTRADOR

Gestão Sócio-Ambiental: Uma nova visão para a administração

25 a 27 de Setembro de 2007

IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE QUALIDADE AMBIENTAL BASEADO NA NORMA ISO14001/96 PARA UMA EMPRESA HOTELEIRA

Danielly Costa de França1, Filipe Soares Dantas2, Jaime José da Silveira Barros Neto3, Janiele Costa de França4

O ambiente empresarial hoteleiro está presenciando importantes transformações. As empresas hoteleiras percebem que cada vez mais a sua participação na sociedade é a variável que determina o seu sucesso ou fracasso. O ambiente social que as se inserem está se tornando exigente quanto ao impacto destas na sociedade.

Até algumas décadas passadas, a preocupação dos representantes da sociedade estavam voltadas ao uso que exclusivamente para as relações de trabalho e o valor do capital sobre o ser humano. Os estudos buscavam equilibrar as relações entre as variáveis homem e mercado. Na atualidade, a preocupação cientifica estendeu-se a outros aspectos. A degradação ambiental e a possibilidade de extinção de elementos naturais, em razão dos modelos de gestão adotados pelos comandantes mercantis, levou os cientistas e a população de modo geral a observar com restrição a utilidade da natureza pelas corporações. Esse movimento social está impactando na conduta e na gestão empresarial contemporânea.

A problemática ambiental surge no cenário mundial como pauta de inúmeros acordos entre as federações para a construção de modos de vida sustentáveis, trazendo a tona o paradoxo entre o desenvolvimento econômico e a preservação dos recursos naturais. Em pleno exercício da afirmação tecnológica, o ser humano começa a perceber e temer, os custos do progresso sem limites.

Segundo Donaire (1999): “No princípio as organizações precisavam preocupar-se apenas com a eficiência dos sistemas produtivos”, em gerar um lucro cada vez maior, padronizar cada dia mais o desempenho dos funcionários, no entanto essa visão industrial que as empresas idealizavam, foi tornando-se, ao longo dos anos, cada vez mais enfraquecida.

O estopim para a inserção da questão ambiental nas organizações deu-se com a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente, realizada em Estocolmo na Suécia em 1972, a qual deliberou normas e obrigações exigidas tanto pelos órgãos reguladores, como pela própria sociedade. Porém, somente com a ECO-92, e a cunha do termo desempenho sustentável é que as organizações passaram a adotar medidas em sua produção levando em consideração a questão ambiental. De acordo com Kinlaw (1998) o termo desempenho sustentável descreve meios para que as empresas permaneçam vivas diante da nova era ambiental.

As empresas hoteleiras estão percebendo que a sua função não é meramente econômica e ganha espectros de responsabilidade política e social. O objetivo restrito de maximizar custos dominante no modelo clássico de administração está sendo substituído por uma gestão sócio- política organizacional.

Os administradores perceberam que a luta com os grupos sociais são ingratas, e, ao contrário, aliar-se a eles pode revelar-se lucrativo. A influência de tais grupos cresce continuamente em harmonia com a preocupação da sociedade com o grupo ambiente que a integra.

O consumidor na área de turismo cada vez mais exigente e começa a priorizar produtos (hotéis) oriundos de empresas preocupadas com questões relacionadas às causas sociais e ambientais. Os consumidores estão começando a escolher o que comprar(hospedar), com quem comprar(setor de reservas do hotel, agências e operadoras de viagens) e como comprar, essas atitudes fazem com que o mercado fique estreito e as empresas passem a considerar novos valores.

Tendo em vista tais valores, as empresas buscam participar mais diretamente das ações comunitárias através da responsabilidade social e ambiental, envolvendo-se através de contribuições para o meio ambiente, diminuindo possíveis danos decorrente das atividades exercidas pela organização.

Assim, torna-se indiscutível a legislação de tais grupos e pouco aconselhável a qualquer organização atuar como o pivô de um levante mercantil contra tais pessoas.

Os hotéis, sejam por razões éticas ou puramente mercadológicas, estão se adequando a essa nova realidade de mercado e buscando evidenciar à sociedade, sua preocupação com o ambiente que a compõe. Em busca de tal objetivo, um número crescente de empresas dos mais diversos setores estão desenvolvendo Sistemas de Gestão Ambiental (SGA) a partir de normas de reconhecimento internacional como as dispostas pela serie ISO. Desta maneira, as organizações buscam materializar a sua preocupação ambiental na linguagem corrente da sociedade e do mercado.

A implementação de um Sistema de Gestão Ambiental constitui uma ferramenta para que o empresário identifique oportunidades de melhorias que reduzam os impactos das atividades de sua empresa sobre o meio ambiente, orientando de forma otimizada os investimentos para implementação de uma política ambiental eficaz, capaz de gerar novas receitas e oportunidades de negócio.

A certificação de que a empresa está atuando com um sistema de gestão ambiental dar-se através das normas expedidas pela ISO, que tem como norma mais importante voltada para as questões ambientais a NBR ISO14001.

Nesse contexto vislumbra-se um cenário futuro, cada dia mais presente, onde a gestão ambiental empresarial tornou-se sinônimo de produtividade e sobre tudo, de competitividade. Se outrora a poluição era compreendida como aquele indesejável mal necessário ao desenvolvimento, agora a poluição é entendida como recurso produtivo desperdiçado.

Neste sentido, o artigo apresenta, a proposição de implantação do Sistema de Gestão Ambiental (SGA), baseado na Norma ISO 14001/96, no setor hoteleiro.