O Profissional de Eventos e suas Perspectivas de Trabalho

Jaime José da Silveira Barros Neto

http://www.abav.com.br/fotos/%7B069AD231-620E-4723-A327-AF10A1BD934B%7D_DSC_8746%20c%C3%B3pia.jpg

Os eventos são cada vez mais importantes para o desenvolvimento do Turismo. Tanto que, transformou-se em fonte de atrativo. A cidade de São Paulo é um exemplo de destinação turística que tem como um dos principais tipos de turismo, o turismo de eventos. Mas não é fácil relacionar uma série de outros municípios brasileiros que tenham uma programação anual de eventos, que se aliam com outros atrativos naturais e culturais para formar o produto turístico.

O evento pode ser a motivação principal da viagem, como por exemplo quando você viaja para participar de um congresso ou feira. Pode também ser um elemento da oferta diferencial, como no caso de uma manifestação cultural existente em ma determinada localidade turística.

Percebemos, então, que os eventos são na realidade programações organizadas com a finalidade de motivar e orientar a clientela na visita de uma cidade, principalmente nos períodos de ociosidade da oferta, proporcionando, assim, um melhor aproveitamento dos seus atrativos.

Essas programações aumenta o consumo e o lucro do núcleo no período de baixa estação, e estabiliza o seu faturamento, equilibrando o mercado turístico(relações de troca de dinheiro por mercadorias e serviços ligados diretamente ou indiretamente ao turismo (Figura 1- Rede de turismo))

Em resumo os eventos são importantes para turismo porque trazem os seguintes benefícios:

Os eventos criam oportunidades de viagens. Em geral, nos eventos com objetivos profissionais, as próprias empresas ou instituições interessadas costumam destacar especialistas para representá-las e, para tanto, custeiam a inscrição, a viagem e os gastas de hospedagem de suas responsáveis que muitas vezes se fazem acompanhar das familiares.

Ampliam o consumo e, em conseqüência, o lucro no núcleo receptor. Quase sempre, o participantes de eventos aproveita a viagem para passeios, compras, ECT., gastando mais do que o turista comum. Tende, também, a prolongar sua programação no núcleo, além dos dias de duração para programações extras.

Permitem a estabilidade dos níveis de emprego do setor turístico, pois reduz a sazonalidade do turismo. Somente a estabilidade nessas área consegue estimular a formação e o aperfeiçoamento de pessoal especializados e, ao mesmo tempo, criar condições para a fixação dessa mão-de-obra especializada no setor.

Promovem indiretamente o núcleo receptor. Através da divulgação que é realizada para cada evento, antes durante e depois do acontecimento.

Geração de emprego direto e indireto, renda e impostos.

Eventos em números

Mundo

Dos 3,4 trilhões de dólares gerados anualmente pelo turismo, 850 bilhões advém do turismo de eventos, com taxa de crescimento anual de 30% (OMT – 2005)

Estima-se que sejam realizados cerca de 70 mil eventos do tipo congresso, com crescimento de 12% ao ano (ICCA – 2006)

Brasil

O setor fatura 37 bilhões de reais anuais (3,1% do PIB), que emprega quase três milhões de pessoas e recolhe 4,2 bilhões de reais em impostos com a realização de 320 mil eventos por ano.” Rui Carvalho, Convention Bureaux

Os eventos movimentam 79 milhões de pessoas, um percentual de 33,7% do turismo nacional (SEBRAE, 2008)

Paraíba

Até final de 2007 foram captados mais 80 eventos foram captados, programados para acontecer até 2010.

Campina Grande

Segundo a CODECOM, o São João arrecadou em 2008, R$20 milhões de reais, sendo reconhecido pelo EMBRATUR [Instituto Brasileiro de Turismo] como o maior evento popular do país;

“A cidade é fortalecida por eventos de grande porte a cada dois meses, a exemplo dos ecumênicos e religiosos no mês de fevereiro, quando Campina Grande se transforma num grande retiro espiritual, além do carnaval fora de época mais antigo do país e o Festival de Inverno, que tem mais de 30 anos”, enumera Lira (Gilson Lira, Coordenador de turismo de Campina Grande).

Profissionais de Eventos

No mercado de eventos encontramos dois tipos de profissionais: os organizadores de eventos, que se constituem em poucas empresas privadas com larga experiência de mercado, e que se dedicam à organização geral dos eventos sob sua responsabilidade, prestando serviços altamente profissionais; e, planejadores de eventos, possuindo apenas noções básicas de organização e encarando o seu trabalho como um serviço de apoio, que, freqüentemente, não é a atividade mais importante de seu emprego.

O profissional de eventos, entre outras qualidades, deve ser seguro, gerando confiança para o cliente e para os funcionários; disciplinado, respeitando prazos, verbas, reuniões; ter flexibilidade, aceitando sugestões, adequando propostas, mudando etapas de trabalho; ter raciocínio rápido, entendendo a capacidade, os anseios e as expectativas dos clientes e funcionários; ter preparo físico, disposição e saúde; ser realista, percebendo os limites, as opções e saber usá-las sabiamente; ter paciência infinita, exercendo o autocontrole e a serenidade. (Britto & Fontes,2002).

As empresas organizadoras contratam em média 24,2 empregados fixos e 386,6 terceirizados. Considerando apenas o universo de 400 empresas e entidades que constam desta pesquisa, o número de empregos chega a 164.320 diretos e 492.960 terceirizados (um total de 657.280).

About these ads